Atividades Bellatrix – Reabilitação Cognitiva

A Reabilitação Cognitiva atua na recuperação da adaptação física, psicológica e social do paciente. Seu principal objetivo é reduzir o impacto de uma incapacidade ou deficiência facilitando a integração social. Através da reabilitação é possível reduzir os impactos de doenças neurológicas como o Alzheimer, AVC (Acidente Vascular Cerebral), traumatismos, encefalites, o Mal de Parkinson, entre outros.

Confira as fotos de nossa atividade realizada com especialista em Reabilitação Cognitiva:

DSC04448 DSC04454 DSC04449 Confira todas as fotos desta atividade acessando nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/BellatrixResidencialparaIdosos

 

Vamos nos exercitar!

No Bellatrix sempre temos novas atividades para serem desenvolvidas por nossos residentes, afinal, ficar parado não é uma opção por aqui! As atividades físicas e mentais trazem diversos benefícios para a saúde e para a longevidade.

Pensando nisso, nós desenvolvemos atividades na piscina, artesanato, massagens, entre outras opções para que todos fiquem animados e pratiquem!

Dessa vez, apresentaremos a vocês o dia em que nossos residentes fizeram uma série de exercícios físicos, acompanhados por um profissional da área. Todos se exercitaram e se divertiram! Confira as fotos.

Para ver todas, acesse nosso álbum nofacebook!

Praticar exercícios na vida adulta ajuda a prevenir demência na terceira idade

Foto:oglobo.globo.com

Foto:oglobo.globo.com

Estar em forma enquanto adulto é um ótimo fator para prevenir que na terceira idade você desenvolva algum tipo de demência, como o Mal de Alzheimer, segundo um novo estudo do Instituto Cooper, em Dalas.

A pesquisa foi realizada entre 1971 e 2009, em que 19.458 adultos saudáveis de até 65 anos fizeram um teste de esforço na esteira como parte de um exame de saúde. Os pesquisadores acompanharam os dados médicos dos indivíduos por 24 anos, em média.

O estudo demonstrou, levando em consideração a idade, as condições de pressão, diabetes, tabagismo e colesterol, que aqueles com mais de 20% de aptidão para o esporte tinham um risco 36% menor de desenvolver demência.

E você, o que acha dessa ligação entre exercícios físicos e saúde mental? Deixe seus comentários!

Atividades físicas contra o Mal de Alzheimer

Uma série de estudos já comprovou que existe ligação entre atividade física e o desenvolvimento do Mal de Alzheimer. Agora, uma pesquisa da Universidade de Nottingham, na Grã-Bretanha, descobriu um dos mecanismos responsável por essa ligação.

De acordo com o trabalho, um hormônio produzido em quantidades saudáveis durante o exercício moderado, como ao longo de uma caminhada rápida, por exemplo, tem um efeito protetor sobre as células nervosas e pode proteger a memória de um paciente com Alzheimer.

O hormônio apontado pelos autores desse estudo como um possível aliado das pessoas que têm doença de Alzheimer é o hormônio liberador de corticotrofina (CRF, sigla em inglês). A equipe responsável por essa nova pesquisa testou, em camundongos com Alzheimer, uma droga experimental que impede o hormônio liberador de corticotrofina de ligar-se ao receptor CRFR1, o que acaba bloqueando a ação do hormônio.

Os autores, então, submeteram parte dos camundongos a uma rotina de exercícios físicos moderados. Esses animais, segundo o estudo, conseguiram restaurar a atividade normal do hormônio liberador de corticotrofina, permitindo que ele surtisse um efeito protetor sobre a memória. Isso aconteceu porque as atividades físicas aumentaram a densidade das sinapses, os pontos de contato entre os neurônios que permitem a comunicação entre eles e cuja redução está associada aos sintomas do Alzheimer.

Óleo de peixe aliado a atividades físicas retarda o envelhecimento

Em um estudo realizado na Universidade de Aberdeen, na Grã-Bretanha, concluiu-se que a ingestão diária de ácidos graxos provenientes de óleos de peixe aliado a prática de exercícios físicos por pessoas idosas ajuda a retardar o envelhecimento.

Os resultados da pesquisa mostraram que mulheres com mais de 65 anos que receberam doses diárias de ácidos graxos ricos em ômega-3 ganharam quase o dobro de tônus muscular após se exercitarem, quando comparadas com aquelas que ingeriam azeite de oliva.

O processo de envelhecimento implica numa perda muscular de 0,5 a 2% por ano e pode implicar em fraqueza e perda de mobilidade em idosos, e pode ser amenizado com hábitos de vida saudáveis.

Nunca é tarde para começar a correr

A atividade física não tem hora ou idade certa. Um exemplo é a corrida, que vem se popularizando e, cada vez mais, o número de corredores que se aventuram pelas ruas aumenta. O inusitado é que a atividade física tem sido adotada por pessoas com mais de 60 anos. Isso mesmo, por idosos! O único diferencial para esse público é a necessidade de um monitoramento; quanto ao resto, basta pegar o ritmo.

É preciso, antes de começar o exercício, que o atleta da terceira idade se submeta a um check-up — procedimento recomendado a todos, independente de sua idade. O exame consiste em consulta com o médico cardiologista, pneumologista, endocrinologista, ortopedista, fisioterapeuta e nutricionista. No entanto, mesmo liberado pelos médicos é preciso começar devagar, já que a frequência cardíaca é um fator que deve ser acompanhado a todo momento.

Outra recomendação é monitorar a parte muscular e as articulações. Se a pessoa estiver acima do peso e seu intuito é se tornar um corredor, indica-se que antes de iniciar a atividade ela emagreça e atinja o peso ideal, para não sobrecarregar as articulações. Além disso, entre uma atividade e outra, o idoso necessita de um tempo maior de descanso, do que um atleta mais jovem. O ideal é que seja entre 72 e 96 horas após um treino.

E você, já é um corredor? Deixe algumas dicas para nós!

Acompanhamento médico e hábito saudável garantem saúde na terceira idade

Dentre as doenças que mais atingem a terceira idade estão as relacionadas ao aparelho circulatório, como derrame, infarto, hipertensão arterial e os tumores. Essas doenças podem fazer com que o idoso se sinta vulnerável, todavia, com acompanhamento médico e algumas medidas preventivas é possível evitar esses males.

Assim, devemos deixar de lado o pensamento de que a visita ao médico só deve ser feita quando se está sentindo alguma coisa. É preciso saber que ao longo da vida o indivíduo vai se tornando mais suscetível às doenças, ou seja, sem tratamento adequado as doenças crônicas não transmissíveis vão se acumulando, fazendo com que o diagnóstico médico na pessoa idosa seja mais complexo, exigindo uma avaliação ampla.

Um grande exemplo é o índice de tumores nos idosos. Os casos de cânceres no país tem aumentado devido ao envelhecimento da população, uma vez que pessoas com mais de 60 anos estão expostas a substâncias nocivas por mais tempo. Os tumores mais comuns na terceira idade são os de próstata (em homens), de mama (em mulheres) e de pulmão, principalmente por causa do fumo, entretanto, cerca de 80 a 90% dos casos possuem cura se o diagnóstico é precoce.

Observamos que a prevenção realmente é o melhor remédio e não deve ser negligenciada. Os gerontologistas, médicos especializados no envelhecimento, afirmam que o envelhecimento não começa aos 60 anos e sim quando o bebê ainda está no útero da mãe. Por isso, os hábitos saudáveis devem começar desde a infância, pois determinarão a saúde da pessoa quando idosa.

Já adotou novos hábitos saudáveis esse ano? Deixe seu comentário nesse post. Vamos adorar saber.