Como idosos podem prevenir a perda de massa magra

Sarcopenia-3A avó não consegue mais se levantar sozinha. Falta força para empurrar o corpo para cima. Levar as compras também não é mais uma tarefa fácil. Cada vez está mais difícil subir as escadas do prédio. Esses são alguns dos clássicos sintomas da sarcopenia, síndrome da perda de massa magra que reflete em perda de função, seja de força ou de performance. Embora todo mundo vá perder força e resistência com o passar do tempo, a sarcopenia pode ser prevenida – e mesmo revertida. Tire suas dúvidas:
Como sei que estou com sarcopenia?
São feitos exames de imagem que verificam a densidade mineral óssea da pessoa. Através de um scanner completo de corpo, é possível determinar a perda de massa magra, bem como cada componente, excluindo a gordura. Também são feitos testes clínicos e de performance, de se levantar e caminhar, de marcha, ida e volta, entre outros, para verificar a mobilidade do idoso.
É possível reverter?
Dependendo do grau que a síndrome estiver, é possível reverter o quadro de sarcopenia. Se o idoso estiver em uma fase pré-sarcopenia, quando há apenas a perda da massa magra sem perda de função, e se receber uma alimentação adequada, fizer exercícios físicos regulares e tiver um suporte social, o cenário é mais favorável para a reversão.
Como faço para prevenir?
Manter uma dieta saudável e fazer exercícios físicos regulares, tanto de resistência, como musculação e Pilates, quanto aeróbico, corridas e caminhadas, são as melhores sugestões para prevenir que a perda natural de massa magra se transforme em sarcopenia. O melhor é combater o sedentarismo e o desuso dos músculos.
Quando ela aparece?
A sarcopenia tende a aparecer nas mulheres a partir da menopausa, por volta dos 50 anos, e entre os homens aos 70, com a redução mais intensa dos hormônios masculinos.
Minha alimentação influencia na sarcopenia?
Cálcio, sódio e potássio são nutrientes importantes para a manutenção da função e contração muscular, bem como a proteína e os aminoácidos, nem sempre ingeridos nas quantidades certas pelos idosos. A dificuldade na mastigação faz com que os idosos deixem as carnes de lado, principais fontes de proteínas de fácil absorção pelo organismo. Além disso, os idosos tendem a absorver menos que os adultos, especialmente quando estão debilitados de alguma forma.
Quando é preciso usar suplementos alimentares?
Depende de quanto o idoso gasta de energia. Se ele faz muita atividade física, ele “gasta” mais as estruturas musculares que o idoso sedentário, e precisa repor as proteínas pela suplementação. No entanto, se a alimentação der conta de repor tudo que ele precisa, não é necessário suplementar o idoso.
Fontes: Renata Bielemann, professora e pesquisadora na UFPEL; Ivan Pacheco, especialista em medicina do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, e do Jonato Prestes, orientador do mestrado de Educação Física em Gerontologia da Universidade Católica de Brasília. [http://www.medicinadoesporte.org.br]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s