Previna-se contra o diabetes!

diabetes-777002_1920Hoje é o Dia Mundial do Diabetes, uma data para prevenir e conscientizar sobre a doença. Quando os níveis de glicemia estão equilibrados, a doença não traz prejuízos à saúde. Por isso, é preciso estar atento aos sintomas.

O diabetes é uma doença crônica metabólica caracterizada pelo aumento da glicose no sangue. O distúrbio acontece porque o pâncreas não é capaz de produzir a insulina em quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo.

A insulina promove a redução da glicemia ao permitir que o açúcar que está presente no sangue possa penetrar as células, para ser utilizado como fonte de energia. Se não tratado, o diabetes pode causar insuficiência renal, amputação de membros, cegueira, doenças cardiovasculares, como AVC (derrame), e infarto. A doença pode levar à morte.

É importante observar que o diabetes acomete pessoas de todas as idades, de ambos os sexos. Então, todos os cuidados devem ser considerados, como manter uma dieta balanceada e praticar atividade física regularmente. O sobrepeso ajuda no surgimento e agravamento da doença. Inclua hábitos saudáveis na alimentação, faça exames regulares e siga à risca as orientações do seu endocrinologista.

O diabetes tem três tipos básicos. O Tipo 2 geralmente aparece em pessoas acima dos 40 anos e está associada com vida sedentária, consumo elevado de álcool, aumento de peso, fatores hereditários entre outros motivos. Encontrado também em crianças, no Tipo 1 a pessoa tem muita sede, urina bastante, perde peso e depende da insulina para tratar a doença. Também existe a gestacional que aparece durante o período da gravidez. Para descobrir a doença é necessário exame de sangue, quando é realizada a dosagem de glicose.

No Bellatrix Residencial para Idosos, localizado em São Pedro (SP), a nutricionista Silvia Ramiro Fischer, junto com a equipe multidisciplinar, também formada por um cardiologista, prepara os alimentos adequados com as orientações nutricionais específicas, inclusive aos diabéticos e aos hipertensos.

PESQUISA
De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde, realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com o IBGE, o diabetes atinge 9 milhões de brasileiros – o que corresponde a 6,2% da população adulta. As mulheres (7%) apresentaram maior proporção da doença do que os homens (5,4%) – 5,4 milhões de mulheres contra 3,6 milhões de homens.

SINTOMAS DO DIABETES
Cansaço
Fome excessiva
Sede excessiva
Boca seca
Perda de peso sem motivo
Vontade frequente de urinar
Visão turva

Um novo conceito de moradia geriátrica

Post 8 - sobre a piscinaO Bellatrix possui um programa de atividades para fortalecimento e exercício das funções físicas e mentais. Destaque para a piscina ao ar livre, usada como lazer dos moradores e também à hidroginástica, sempre com orientação médica e acompanhamento do profissional responsável.

Exercícios físicos e alimentação ajudam idosos hipertensos

Considerada a doença cardiovascular mais frequente no país, a hipertensão arterial afeta cerca de 20% da população brasileira adulta, segundo o Ministério da Saúde. No total, quase 15 milhões de pessoas não sabem que sofrem desse mal. Os dados mostram, também, a grande incidência sobre gestantes, crianças e idosos. Alimentação adequada e exercícios físicos são excelentes para o combate.

Julieta Beni Giacopelli, de 90 anos, faz exercícios  no Bellatrix Residencial para Idosos [crédito -  Daniella Oliveira]“A prevenção é sempre o melhor remédio. No caso dos idosos da instituição, além de tomarem os medicamentos necessários e manterem hábitos saudáveis, os exercícios físicos, como uma simples caminhada pelo menos três vezes por semana, trazem enormes benefícios à saúde de cada um”, explica Nicholas Momesso Cardoso, fisioterapeuta do Bellatrix Residencial para Idoso.

Além da caminhada ser feita com cuidado para evitar excessos que possam levar à exaustão e lesões musculares, o fisioterapeuta explica que é fundamental o acompanhamento de profissionais em todos os esportes ou qualquer atividade física praticada por idosos.

“Mais do que prevenir e controlar a pressão alta, o diabetes e até mesmo a depressão, os exercícios físicos ajudam a melhorar a força dos músculos, com o fortalecimento das pernas, dos braços e do tronco. Os idosos ficam mais dispostos e evitam o isolamento”, conta o fisioterapeuta que atende os moradores do Bellatrix de forma individual e coletiva.

Ainda segundo Cardoso, os exercícios de alongamento são importantes para a manutenção do bem-estar físico e emocional dos residentes. “Essa atividade também favorece a circulação sanguínea e faz com que seja mais fácil realizar algumas dinâmicas diárias, tornando o idoso mais independente”, completa Nicholas.

 

Atividades Bellatrix – Reabilitação Cognitiva

A Reabilitação Cognitiva atua na recuperação da adaptação física, psicológica e social do paciente. Seu principal objetivo é reduzir o impacto de uma incapacidade ou deficiência facilitando a integração social. Através da reabilitação é possível reduzir os impactos de doenças neurológicas como o Alzheimer, AVC (Acidente Vascular Cerebral), traumatismos, encefalites, o Mal de Parkinson, entre outros.

Confira as fotos de nossa atividade realizada com especialista em Reabilitação Cognitiva:

DSC04448 DSC04454 DSC04449 Confira todas as fotos desta atividade acessando nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/BellatrixResidencialparaIdosos

 

Vamos nos exercitar!

No Bellatrix sempre temos novas atividades para serem desenvolvidas por nossos residentes, afinal, ficar parado não é uma opção por aqui! As atividades físicas e mentais trazem diversos benefícios para a saúde e para a longevidade.

Pensando nisso, nós desenvolvemos atividades na piscina, artesanato, massagens, entre outras opções para que todos fiquem animados e pratiquem!

Dessa vez, apresentaremos a vocês o dia em que nossos residentes fizeram uma série de exercícios físicos, acompanhados por um profissional da área. Todos se exercitaram e se divertiram! Confira as fotos.

Para ver todas, acesse nosso álbum nofacebook!

Praticar exercícios na vida adulta ajuda a prevenir demência na terceira idade

Foto:oglobo.globo.com
Foto:oglobo.globo.com

Estar em forma enquanto adulto é um ótimo fator para prevenir que na terceira idade você desenvolva algum tipo de demência, como o Mal de Alzheimer, segundo um novo estudo do Instituto Cooper, em Dalas.

A pesquisa foi realizada entre 1971 e 2009, em que 19.458 adultos saudáveis de até 65 anos fizeram um teste de esforço na esteira como parte de um exame de saúde. Os pesquisadores acompanharam os dados médicos dos indivíduos por 24 anos, em média.

O estudo demonstrou, levando em consideração a idade, as condições de pressão, diabetes, tabagismo e colesterol, que aqueles com mais de 20% de aptidão para o esporte tinham um risco 36% menor de desenvolver demência.

E você, o que acha dessa ligação entre exercícios físicos e saúde mental? Deixe seus comentários!

Atividades físicas contra o Mal de Alzheimer

Uma série de estudos já comprovou que existe ligação entre atividade física e o desenvolvimento do Mal de Alzheimer. Agora, uma pesquisa da Universidade de Nottingham, na Grã-Bretanha, descobriu um dos mecanismos responsável por essa ligação.

http://maisdetalheshere.blogspot.com
http://maisdetalheshere.blogspot.com

De acordo com o trabalho, um hormônio produzido em quantidades saudáveis durante o exercício moderado, como ao longo de uma caminhada rápida, por exemplo, tem um efeito protetor sobre as células nervosas e pode proteger a memória de um paciente com Alzheimer.

O hormônio apontado pelos autores desse estudo como um possível aliado das pessoas que têm doença de Alzheimer é o hormônio liberador de corticotrofina (CRF, sigla em inglês). A equipe responsável por essa nova pesquisa testou, em camundongos com Alzheimer, uma droga experimental que impede o hormônio liberador de corticotrofina de ligar-se ao receptor CRFR1, o que acaba bloqueando a ação do hormônio.

Os autores, então, submeteram parte dos camundongos a uma rotina de exercícios físicos moderados. Esses animais, segundo o estudo, conseguiram restaurar a atividade normal do hormônio liberador de corticotrofina, permitindo que ele surtisse um efeito protetor sobre a memória. Isso aconteceu porque as atividades físicas aumentaram a densidade das sinapses, os pontos de contato entre os neurônios que permitem a comunicação entre eles e cuja redução está associada aos sintomas do Alzheimer.